Lição sobre Bioeconomia

Alunos de escola da rede municipal confeccionam bijuterias utilizando sementes e escama de peixe 


05/11/2019 - Educação

Previous Next

(Dora Paula Paes)

O respeito ao meio ambiente, aliado ao empreendedorismo econômico, pode começar de pequeno. Alunos da pré-escola, na faixa dos 4 aos 5 anos, da Escola Municipal Professora Dionélia Gonçalves Santos, de Atafona, sabem bem essa lição sobre Bioeconomia. Durante a realização da VIII Feira Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação (Femucti), de São João da Barra, as “crianças da tia” Adriana de Jesus apresentaram seus trabalhos de confecção de Ecobijus, com utilização de sementes de açaí e escamas de peixes da espécie corvina.

O trabalho da galerinha não está entre os cinco escolhidos para representar o município na  Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação do Rio de Janeiro (Fecti), em dezembro, mas fez bonito na Femucti, que teve como tema "Bioeconomia: diversidade e riqueza para o desenvolvimento sustentável", realizada nos dias 25 e 26 de outubro.

As crianças, acompanhadas da professora e da coordenação da Dionélia, ensinaram que as escamas de peixe dispensadas por frigoríficos e na culinária de casas podem virar matéria-prima para confecção de bijuterias ecológicas e sustentáveis, criando uma fonte de renda.

A aluna Julie Caroline e seus amiguinhos da pré-escola I, durante a feira, demonstraram toda habilidade na confecção das pulseirinhas. “Gosto de fazer. As escamas são lavadas e, depois que secam, são pintadas. As pulseirinhas são muito bonitas”, disse a aluna, explicando o processo e com dedinhos ágeis preenchendo todo o fio de náilon com as escamas coloridas e as sementes.