Combate ao racismo

Ação aconteceu pela primeira vez em São João da Barra


13/05/2018 - Cultura

Previous Next

(Fabrício Berto)

Uma ação de combate ao racismo, pelo Dia da Abolição da Escravatura, com o tema, “13 de maio – reflexão pós-abolição”, marcou o fim de semana em São João da Barra. Realizada no sábado, 12, no calçadão ao lado da Casa de Cultura João Oscar do Amaral Pinto – Antiga Casa de Câmara e Cadeia – pela Prefeitura de São João da Barra e o Movimento Negro Unificado (MNU), a finalidade foi promover a reflexão da condição da população negra após 130 de abolição da escravatura.

– A iniciativa, que objetivou ainda conscientizar sobre igualdade étnica, valorizar as expressões culturais afro-brasileiras e construir a identidade da população negra sanjoanense, obteve resultado positivo – avaliou a coordenadora geral do MNU, Manuelli Ramos, acrescentando que essas dinâmicas históricas, culturais, sociais, ideológicas e políticas do povo negro devem ocorrer em outras oportunidades no município.

O vice-prefeito Alexandre Rosa, que representou a prefeita Carla Machado, destacou que o município tem uma história cultural rica do período colonial, contada, por exemplo, através da Antiga Casa de Câmara e Cadeia, onde há uma exposição da época da escravidão, e o Cais do Imperador, por onde os escravos chegavam.

 “Essa ação é à primeira de muitas. Temos uma veia cultural forte e foi muito propício esse dia de reflexão sobre a abolição da escravatura para que as pessoas fiquem atentas e não permitam e denunciem qualquer tipo de escravidão e racismo nos dias de hoje”, disse Alexandre, almejando que essa ação possa entrar também para o calendário cultural do município para que venha acontecer nos anos vindouros.

Os secretários de Turismo Esporte e Lazer, Edivaldo Machado, e de Educação e Cultura, Daniel Damasceno, e representantes regionais e nacionais do Movimento Negro Unificado marcaram presença.

Lavagem do Cais do Imperador, oficinas de capoeira, jongo, percussão afro, turbantes, tranças, maculelê, abayomi e contação de histórias, palestra e debate com o tema “O negro em perspectiva - 13 de maio e os efeitos do pós-abolição”, espetáculo de folguedo "O Samba de Roda" com a Escola de Arte e Cultura Popular Mãos Negras, e show com a Banda Raiz, compuseram a programação.